Objecto Amigo


Pode ser um ursinho, uma fralda ("aquela" fralda, não uma qualquer), uma almofada ou até mesmo a chupeta. 
Os objectos transicionais são importantes para os pequenos e servem de apoio e companhia, dando-lhes segurança, quando, por exemplo, estão sozinhos(o que acontece muitas vezes ao deitar). Como fazem parte do desenvolvimento devem ser respeitados.
Simbolizam a figura materna, ajudam na capacidade de espera e resistência à frustração, ocupando a presença da mãe na mente da criança, mas não a substituí.
Segundo Winnicott o mais importante não é o objecto em si, mas sim a experiência da criança com o objecto, pois ele vai ajudá-la na construção da sua identidade.
A partir do primeiro ano de vida os objectos transicionais começam a ter um papel mais importante, pois as crianças tornam-se inseguras pelo facto de começarem a ter consciência das coisas, mas sem ainda terem um raciocínio claro das mesmas.
Já pelos dois anos de idade, a criança consegue compreender de uma forma mais clara e este pode ser um bom momento para começar a retirar os objectos, uma vez que vão perdendo o sentido à medida que a criança desenvolve outros interesses (desenhar, jogar, dançar, etc..)
Estes objectos são saudáveis. No entanto, prolongar o seu uso pode representar que a criança apresenta dificuldades em passar para o processo de individualização.

Sem comentários:

Enviar um comentário