Tal pai, tal filho...

Que somos exemplos para nossos pequenos ninguém tem dúvidas, mas que exemplos lhes damos?
Por vezes, damos por nós a fazer este tipo de perguntas e a reflectir sobre as nossas escolhas e os caminhos que seguimos na vida. Tudo em nós afecta as nossas crianças directamente, a forma como pensamos, como reagimos aos problemas, os medos e as frustrações que temos... e sei que não existem pais perfeitos (eu não sou uma mãe perfeita), mas o que fazemos para que isto não afecte negativamente a vida dos nossos pequenos?
Os nutricionistas utilizam muito a frase do "somos o que comemos". Bem, a verdade é que é por aí! Também somos o que fazemos, ou seja, se atiramos um papel para a rua, somos nigligentes com a limpeza e muito pouco cívicos, se ofendemos alguém no trânsito, somos rabugentos e mal-educados, se reagimos com raiva a cada frustração, somos imaturos... Então fica a questão, "que exemplo estou eu a ser para meus filhos?"
É em casa que começa a primeira educação e as bases daquilo que somos e nos tornamos no futuro, desde o primeiro dia de vida a criança observa o mundo que a rodeia e, é a partir daí, que vai criando as primeiras impressões do que a envolve. Durante a primeira infância o mundo da criança é o pai, a mãe, os irmãos e os familiares mais próximos. Todos os dias, quando o seu pequeno abre os olhos, o que é que ele vê? o que é ele ouve? no que é que ele participa? Responder a estas perguntas pode parecer fácil, no entanto, tem uma grande importância na formação dos nossos filhos.
Temos uma vida "a correr", um trabalho stressante  que geralmente consome muito tempo e quando chegamos a casa estamos cansados e queremos é descanso. Mas escolhemos ter filhos e eles precisam de nós, precisam de atenção, de compreensão, de partilhar uma pequena conquista, de serem acarinhados ao ouvirem uma história, de rir com uma brincadeira, de incentivo... eles precisam de exemplo. É preciso rever os nossos conceitos e pesar as nossas prioridades, e ao fim do dia pensar "quantas horas estive com meus filhos hoje?", "já brinquei com eles?", "ouvi as suas histórias?", "já disse que os amava?", e se a resposta for positiva, então sim, podemos ficar tranquilos, pois estamos a criar seres humanos felizes!

E para entender as consequências do quanto aquilo que somos e do exemplo que damos é super importante para a construção dos pequenos, vejam este video. Muito bom!

2 comentários:

  1. Muito bom, tanto o seu texto como o vídeo.
    Obrigada :)

    ResponderEliminar
    Respostas
    1. Obrigada Edien! Continuo sem conseguir publicar cometários no seu blogue. :(

      Eliminar