Momentos Sleepy Time #1

Lido diariamente com mães cujos bebés dormem pouco. Conheço perfeitamente os efeitos que a privação do sono tem sobre elas e percebo o quanto isso abala as suas vidas. Posso dizer que já vi de tudo… Mães que acordam várias vezes por noite porque o seu bebé perdeu a chucha, mães que vivem verdadeiras batalhas nocturnas para adormecer os seus filhos, pais que conduzem durante horas pelo bairro para conseguirem que os seus pequenotes durmam algumas horas… 

Ter um filho é um desafio. Uma aventura. Algo mágico e pleno que apesar disso se vai tornando ainda mais completo a cada dia. Mas quando o nosso filho não dorme durante meses ou anos, a vida torna-se muito mais complicada. São por isso frequentes as lágrimas nas minhas consultas. Há tantas mães que se sentem defraudadas nas suas expectativas! Abandonam as suas vidas, deixam de namorar, sair, passear, mimar os seus maridos e, principalmente mimar-se a elas próprias! Os dias sucedem-se e elas sentem que a vida vai passando e que deixaram de ser mulheres para passar a ser mães. Isto traz alguma amargura e ansiedade que se vai reflectindo em todos os campos das suas vidas, incluindo nos seus relacionamentos. 

Famílias que não descansam o suficiente tornam-se irritáveis e sem paciência. Mães que se levantam sozinhas, noite após noite, para acalmar um bebé que chora enquanto o pai dorme, tornam-se ressentidas. Pais que vêem as suas mulheres desaparecer durante duas horas todos os serões para irem adormecer o filho de ambos, sentem-se postos de parte. 

Volto a dizer: ter um filho é mesmo um desafio. Um desafio para encarar a dois com amor e sorrisos. Encarem também a verdade: raramente há motivos fisiológicos que impeçam um bebé de dormir. Na maioria das vezes os nossos filhos não dormem por questões relacionadas com associações erradas. Associações que nós lhes ensinamos. Passem, por isso, algum tempo a ensinar desde cedo os vossos bebés a dormir. Da mesma forma que têm paciência para aprender a cuidar deles, tenham paciência para ensiná-los a tranquilizar-se e a acalmar-se sozinhos. Atenção! Não digo para deixarem bebés de 2 meses a chorar sozinhos na cama! E também não digo para esperarem que os vossos filhos durmam todos os dias até às 11h da manhã! (Eu cá gostava muito!) 

Digo para ficarem atentas aos sinais. Para tentarem cuidadosa e pacientemente ensiná-los desde cedo que nada há a temer e que vocês estarão sempre por perto. O maior sinal de segurança que os nossos filhos nos podem dar é saberem que estamos por perto – sempre – mesmo que não fisicamente.

Filipa Sommerfeldt Fernandes

Sem comentários:

Enviar um comentário